As cores do México por Mariana Burger

IMG_9111

Eu tinha muita curiosidade de saber como era o México. Quando viajo com minha mãe escolhemos lugares não tão óbvios, dessa vez queríamos um destino perto, tínhamos de 10 a 15 dias de férias.

México parece óbvio, mas acredite, não é nada óbvio!

Começamos por  Cancun, lá  fomos nós rumo às praias Caribenhas em busca de descanso.

Escolhemos um hotel ao sul, em Playa Del Carmen. La (quase) tudo funciona no sistema all inclusive e de fato vale a pena. Mordomia é sempre bom, né?

As escolhas são difíceis, entre elas curtir o sol, banho de mar, desfrutar da gastronomia do hotel e bons drinks, tudo isso alternado em 3 dias, entre preguiça e passeio.

A região de Tulum tem MUITAS opções. Você pode ir visitar as pirâmides de Chichén Itzá,  mergulhar nos cenotes, curtir opções de natureza e aventura ou ainda mergulhar com golfinhos.

Escolhemos um passeio que ocupava de 5 à 6h do dia, saía cedo (09h) rumo ao Parque Arqueológico de Tulum (patrimônio cultural da nação). Com ruinas à beira mar, o parque possui rigoroso controle de acessos e vale a pena ir em um grupo organizado com guia para fugir das filas e acessar o parque com tranquilidade. Uma vez dentro do parque pode-se caminhar e andar pelas ruinas e entender um pouco da história do lugar. O ponto alto é a vista das ruinas na beira do mar turquesa.

Tulum – vista do sítio arqueológico

Saindo de lá fomos para um cenote em Yucatán mergulhar. Os cenotes eram a mais limpa e rica fonte de agua doce dos maias e por estarem em regiões preservadas requer uma série de cuidados com o ambiente. Vale muito o passeio. As grutas com estalactites e estalagmites são de tirar o fôlego. Não se pode levar maquina profissional, mas pode-se levar capinha para smartphone ou uma câmera a prova d’agua. Se você levar uma maquina profissional vai ter que pagar uma taxa para o parque. Você recebe o colete salva vidas (de uso obrigatório), óculos e snorkel (descartáveis, super higiênico alias) e precisa tomar uma ducha antes de entrar na agua para retirar as impurezas do corpo e não comprometer o ecossistema. Protetor solar e repelente apenas biodegradável. Não são permitidos os comerciais. O mergulho dura aproximadamente 30 min e você pode explorar o local nadando entre os peixes e as colunas de pedra. Muito legal mesmo!

Mergulho nos cenotes

Para encerrar um mergulho com as “tortugas” gigantes em Akumal, mar aberto com uma área cercada e protegida. Não se pode tocar nelas e nem interferir de nenhuma forma no local. Apenas contemplar e nadar com elas (embora sempre tenha um espertinho que não entenda isso). São mesmo lindas! E enormes! Vale levar sua câmera novamente porque da pra ver alguns corais coloridos, peixes e fauna marinha em alguns pontos. O passeio encerrou com um brinde de Corona oferecido pelo guia.

Mergulho com as tartarugas em Akumal

Todos os passeios custam a partir de U$ 100,00, mas ir até lá e não fazer nenhum passeio não tem como.

A comida não é lá essa maravilha e não tem NADA a ver com o que você sabe sobre comida mexicana. Honestamente, não curti nem um pouco e resolvi não arriscar muito. Mas a marguerita de tamarindo foi uma excelente surpresa. Experimente se puder!

Depois de quatro dias em Playa del Carmen lá fomos nós para a cidade grande. Cidade do México.

Com aproximadamente 24 milhões de habitantes é uma cidade ENORME. Se você pensa que em São Paulo tem transito espere até ver o de lá.  CAOS!

Nos hospedamos bem no centro, na Zona Rosa, a mais turística de todas e a melhor localizada. De fácil acesso para vários pontos turísticos, possibilita fazer muitas coisas a pé e nosso hotel ficava ao lado do metro Insurgente. Aliás, a experiência do metro não é lá muito agradável, mas tem uma malha boa e é super barato (mais ou menos R$ 1,00), vale para dias em que você já caminhou muito e não quer ter que voltar tudo.

Também tínhamos um passeio incluído no primeiro dia que começou fazendo uma visita a Basílica de Guadalupe. Super bacana, tem um sistema bem inteligente para visitar e ver a Virgem de Guadalupe original sem atrapalhar a missa e as rezas dos fiéis que sempre lotam a basílica. De lá fomos conhecer as famosas pirâmides de Teotihuacan. São mais ou menos 40 min de ônibus até a região. Chegando lá nosso grupo foi para uma tenda onde almoçamos e aprendemos um pouco mais sobre agaves, tequilas e o artesanato local que é fantástico, as pedras obsidianas e o ônix. Tem cada coisa que é de enlouquecer!

Nossa senhora de Guadalupe

Mas voltando as pirâmides….

IMG_9112

O parque é GIGANTESCO, naquela cidade viveram aproximadamente 300 mil pessoas, as construções são chocantes. As pirâmides do Sol e da Lua, uma em cada ponta da cidade, majestosas e cada uma com a sua história. Passeio obrigatório!

O calor é forte, sem sombra,  protetor solar e chapéu são itens indispensáveis. Ficamos por lá umas 3h, tempo suficiente para andar pela Calzada de los Muertos (que tem mais ou menos 4 km), subir nas pirâmides (a do sol tem uns 243 degraus bem altos o que dificulta a subida) e contemplar o lugar sentido a energia que tem lá. Estima-se que cada uma das pirâmides tenham aproximadamente outras 10 pirâmides (no mínimo) embaixo delas, pois eles construíam uma em cima da outra logo após os rituais de oferendas aos deuses. O local tem muitas historias, vale ler, se encantar e visitar.

A  Cidade do México oferece muitas opções de passeios. O Museu de Belas Artes é lindíssimo e vale a visita. O centro histórico impressiona com os prédios construídos em cima de ruinas de pirâmides antigas o que esta fazendo com que ele afunde (e está afundando mesmo!!!) cerca de 12 cm por ano!

Fizemos um walking tour pelo centro, 5h de caminhada pela região ouvindo e aprendendo. Visite o prédio dos Correios, é deslumbrante e ainda funciona nos mesmos moldes de antigamente.

Não se esqueça de ver os Murais de Diego Rivera que também são muito bonitos e enormes.

Pra mim o ponto alto foi o Museu de Antropologia. LINDO, organizado e super dinâmico. Separado por salas, tem objetos que contam um pouco da cultura e da civilização maias, astecas, hispânicas, indígenas e incas também.

Museu de Nacional de Antropologia

Lá você vai  encontrar o verdadeiro calendário asteca (que não é um calendário!) ele foi retirado do centro histórico em função dos bombardeios americanos nas disputas territoriais. Dá pra se perder lá dentro por algumas horas e vale muito a pena.

O verdadeiro calendário asteca, que não é um calendário!

Chapultepec é um castelo dentro de um parque de mesmo nome bem conservado e que possui inclusive o Museu de Arte Moderna. Fomos em um domingo e ficamos impressionadas com a quantidade de locais que estavam lá aproveitando o parque. A Rua Paseo de la Reforma fecha aos domingos para carros e as quatro pistas são invadidas por ciclistas, corredores e pessoas passeando. Verdadeiro programa de domingo.

Teatro de Belas Artes

Para compras de artesanato não deixe de ir ao Ciudadela. Um centro aberto próximo a uma estação de metro que tem boas opções de presentes, preços variados (vale a boa pechincha) e uma gama de cores de encher os olhos.

Enfim, o que não falta na cidade são programas culturais e muita coisa legal pra ver. Encante-se com as cores e explore esse país de gente muito animada e receptiva cheia de historias bacanas.

Até a próxima!

Mary Burger